Dia do Cinema Brasileiro

Central do Brasil

Fonte: BRCine

Uma duvida sempre ronda cineastas e amantes do cinema brasileiro quando se questiona qual dia, afinal, foi dado para homenagear nossa cinematografia. Uns dizem ser 19 de junho, outros afirmam ser 5 de novembro. E nunca se chega a uma definição sobre o assunto.

Aliás, nunca se pode dizer nunca, ainda mais quando a própria Ancine (Agência Nacional de Cinema) é categórica em afirmar que a data correta é mesmo 19 de junho. O dia remete ao ano de 1898, quando o cineasta italiano Afonso Segreto fez as primeiras imagens do Brasil. A bordo de um navio francês, o europeu que chegava ao Rio de Janeiro registrou a Baía de Guanabara.

Se a Ancine diz e explica, não restam dúvidas. 19 de junho é o Dia do Cinema Brasileiro. Mas, por que então muitos alegam ser em 5 de novembro?

Alguns acreditam ser uma homenagem ao cineasta Paulo Cesar Saraceni, nascido neste dia em 1933. Apesar de o diretor ser de grande importância à nossa cinematografia, principalmente na criação do Cinema Novo, não seria justo com os demais ter o seu aniversário como base.

Há quem diga também ser pela morte de Humberto Mauro, um dos precursores do cinema brasileiro. Foi na pequena cidade de Cataguases que o mineiro fez diversos filmes, dentre eles A Velha a Fiar, em 1964, considerado o primeiro videoclipe do mundo. Morto em 5 de novembro de 1983, Mauro teria recebido em sua homenagem um dia dedicado ao cinema. Porém, seria bastante mórbido escolherem o dia de sua morte, não?

Na verdade, toda esta confusão se deu por um erro do cineasta Carlos Ortiz, autor do livro O Romance do Gato Preto (1953), o primeiro que tenta contar a história do cinema brasileiro. Na obra, Ortiz afirma que a primeira filmagem no país foi realizada pelo português Antônio Leal em 5 de novembro de 1907, fazendo com que a data passasse a ser considerada como Dia do Cinema Brasileiro a partir da década de 50.

No entanto, já na década de 70, perceberam o equivoco, e o 5 de novembro deu lugar ao 19 de junho, por conta de Afonso Segreto. Por isso, então, muitos consideram ser uma data e outro tanto diz ser a outra.

A coisa complica ainda mais quando se descobre que não há qualquer prova de que Segreto realmente fez imagens do Rio de Janeiro naquela data. Para piorar, no ano anterior à chegada de Afonso outro homem havia realizado imagens da Baía de Guanabara, e desta vez não era um Europeu, mas um legítimo pernambucano, sócio de Pascoal Segreto, irmão do italiano.

José Roberto da Cunha Salles filmou Ancoradouro de Pescadores na Baía de Guanabara em 1897 e fez questão de deixar registrado. O fato saiu no jornal Gazeta de Petrópolis em 6 de maio daquele ano, e em 27 de novembro o primeiro cineasta brasileiro registrou oficialmente o fato no Ministério da Agricultura.

Bem melhor ser de Cunha Salles o registro, já que se trata de um brasileiro. Tão brasileiro, que se tornou uma figura folclórica na época. Charlatão, José Roberto tinha inúmeras profissões, mas não gostava de trabalhar. Foi juiz, mas foi exonerado por corrupção. Candidatou-se a deputado. Inventou uma versão do jogo do bicho, o que o fez ser preso e virar crônica pelas mãos de Machado de Assis. Até mesmo curandeiro, nosso cineasta Cunha Salles foi.

Pode ser, então, que logo mudem de ideia e o Dia do Cinema Brasileiro passe a ser 6 de maio ou 27 de novembro. Por que não? De qualquer forma, é sempre bom ter motivos para exaltar a nossa sétima arte.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s